2, 3 e 4 de Março de 2022

CONGRESSO

JORNALISMO, CIDADANIA
E DEMOCRACIAS SUSTENTÁVEIS
NOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA

Apresentação

Jornalismo, Cidadania e Democracias Sustentáveis nos Países de Língua Portuguesa é uma proposta de encontro que visa promover redes de intercâmbio de partilha de informação, estudos, experiências e formação, centrados na ideia de reforço de uma cidadania para os media, enquanto forma de empoderamento das populações com vista ao exercício da sua cidadania política.

O conceito de democracia sustentável tem por pressuposto que a democracia não é um dado adquirido à partida e que a sua viabilidade enquanto sistema político necessita de opiniões públicas empenhadas, participativas, informadas, com capacidade de intervirem publicamente. Independentemente das suas formas de organização e de realização, as democracias representam a melhor forma de participação das populações e das sociedades na determinação dos seus destinos comuns. O desenvolvimento de modelos que garantam formas de realização individuais, coletivas e das sociedades são pressupostos essenciais para a sustentabilidade dos regimes democráticos. Os populismos, os integrismos, todas as formas de desinformação, de censura e exclusão da vida pública, entre outros elementos, representam um recuo civilizacional, ameaçando as democracias, o desenvolvimento, os direitos humanos e o diálogo intercultural, para os quais é necessário mobilizar, entre outros, as opiniões públicas, os media e o jornalismo.

A organização desta iniciativa, que conta com o apoio do Camões I.P.,  surge num contexto em que as entidades participantes consideram ser necessário: 1) pensar os impactos que a informação, o jornalismo e os media podem ter no desenvolvimento e na promoção de uma cultura de participação cívica e democrática no espaço dos países de língua oficial portuguesa; 2) propor formas de diálogo que possam servir de guia para a criação de iniciativas participativas, concretas entre os diferentes contextos, num domínio tradicionalmente volúvel, de resultados incertos e de longo prazo; e, finalmente, 3) refletir sobre os países de língua oficial portuguesa como um campo de atuação, procurando assumir uma língua comum como espaço de valores, de partilha, de aprendizagens mútuas e de intercompreensão.

Comissão científica

Carlos Camponez (Universidade de Coimbra)

Clara Almeida Santos (Universidade de Coimbra)

Fátima Proença (ACEP)

Filipa Oliveira (ACEP)

Luís António Santos (Universidade do Minho)

João Miranda (Universidade de Coimbra)

Madalena Oliveira (Universidade do Minho)

Miguel Midões (Universidade de Coimbra)

Rosa Cabecinhas (Universidade do Minho)

 

Comissão organizadora

Carlos Camponez (Universidade de Coimbra)

João Miranda (Universidade de Coimbra)

Madalena Oliveira (Universidade do Minho)

Filipa Oliveira (ACEP)

Maria Morais (ACEP)

iStock-1279750514.jpg
Organização
logo ACEP.jpg
ceis20.jpg
CECS_ORIGINAL.png
Instituição Associada
FLUC_V_FundoClaro.png
Apoio
Camoes.png